Buscar
  • Júnior Barbosa

Série de filmes vai documentar grandes histórias de Macaé

Bem antes de ser conhecida no mundo pela indústria do petróleo, a Princesinha do Atlântico teve como uma das principais riquezas a cultura. Para resgatar parte da história local, já está em fase de produção o projeto “Pelos Cantos de Macaé”, uma série de quatro documentários que vão ser disponibilizados online por meio da Lei de Emergência Cultural (Aldir Blanc).


Através de registros que também serão compartilhados nas redes sociais do projeto, as centenárias Sociedades Musicais Nova Aurora e Lyra dos Conspiradores terão suas histórias contadas. Os registros audiovisuais também mostrarão a Confraria Samba, Choro e Poesia e o Projeto Gourmet Musical da Escola Sentrinho.



Idealizado pelo jornalista, documentarista e fotógrafo macaense Raphael Bózeo, o projeto também conta com a colaboração de profissionais da cidade. Entre eles, a esposa Camila Bózeo, psicóloga e fotógrafa, com quem divide as atividades administrativas e de execução. Eternizar a história desses espaços é um dos legados que o casal busca deixar para a filha, Maria, de quatro anos.


“Quando os editais foram abertos, vimos uma grande oportunidade de contar a história de espaços ricos de cultura da nossa cidade e retribuir um pouco do privilégio que temos por viver aqui. Foram noites com poucas horas de sono, estudos e muito planejamento para vencer esse edital. Queremos deixar um legado importante para Macaé e tenho certeza que o público vai gostar dos documentários”, disse Raphael.





“Pelos Cantos de Macaé” é uma das iniciativas que foram contempladas pelo edital “Retomada Cultural RJ” e é apresentada pelo Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro e Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, com a Lei Emergência Cultural nº 14.017/2020, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. A empresa Bózeo Fotografia também é realizado do projeto.


Você também pode acompanhar o nosso projeto através do instagram e facebook.


Sociedade Musical Nova Aurora

Entre arquiteturas modernas, quem passa pelo calçadão do Centro não deixa de notar o imóvel que ainda preserva traços do passado. Lá dentro, incontáveis músicos foram formados, além da conhecida e respeitada banda que, até hoje, marca presença nos principais eventos macaenses.




Sociedade Musical Lyra dos Conspiradores

Fundada em 1882, a sociedade foi tombada como patrimônio cultural fluminense há três anos. No início, ganhou notoriedade pela luta contra a escravidão. Na época, os desfiles com músicos negros eram considerados atos revolucionários. Historicamente, muitos questionam sobre uma possível rivalidade com a Nova Aurora. Quem conferir os documentários, encontrará as respostas.



Confraria Samba, Choro e Poesia

Um grupo de amigos criou a tradição de se encontrar, sempre aos sábados, para tocar e ouvir música, beber cerveja, conversar, recitar poemas e conhecer novas pessoas. Por conta da pandemia, a última fez que eles se reuniram foi em março do ano passado.





Projeto Gourmet Musical da Escola Sentrinho

Desde a década de 90, músicos de todo o país se apresentam com um só objetivo: arrecadar recursos para manter a escola, que foi fundada para atender alunos com deficiência. Nomes como João Bosco, João Nogueira e Beth Carvalho emprestaram seus talentos para a causa.

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo